Apresentação

As atividades de extensão na Universidade de Brasília são regulamentadas pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão que decide com base nas propostas apresentadas pela Câmara de Extensão. Os cursos de Extensão da FCI são elaborados com base na competência técnica de seus especialistas, de acordo com a demanda do mercado de trabalho e dos profissionais especializados. Turmas fechadas podem ser criadas por demanda de grupos de alunos ou instituições em horários e locais diferentes, inclusive fora de Brasília. No âmbito de cada Instituto, Faculdade e Departamento existe a figura do Coordenador de Extensão. Os cursos de extensão da FCI estão sendo oferecidos sob demanda específica em turmas fechadas ou abertas para grupos sem calendário pré-estabelecido. Os interessados devem procurar os coordenadores diretamente."

Cursos de Extensão FCI/UnB

A Faculdade de Ciência da Informação da Universidade de Brasília (UnB) promove regularmente vários cursos presenciais com a Escola de Extensão da UnB (EXE). Mais de 600 alunos já fizeram cursos de extensão em mais de 50 turmas abertas e fechadas com índice de satisfação médio acima de 94%!
Cada curso tem carga horária variada e pode ser ministrado na FCI ou nas instalações da instituição solicitante em qualquer cidade brasileira.
Os cursos, cujos exercícios, ferramentas e temas podem ser adaptados às necessidades da instituição, podem ser combinados para atender às características institucionais. Cada turma é avaliada de forma independente pela EXE e os alunos aprovados recebem seus certificados pela UnB.
As turmas podem ser solicitadas por instituições públicas e privadas, sindicatos, conselhos, associações de classe, faculdades, universidades, escolas e empresas, de forma isolada ou associada. É uma excelente alternativa para melhorar a capacitação profissional e enriquecer o currículo acadêmico e profissional com alto custo benefício. A relação abaixo contém informações detalhadas sobre alguns cursos oferecidos pelo CID/EXE/UnB.
Os interessados nos cursos devem procurar o coordenador para verificar o calendário de turmas abertas, solicitar abertura de novas turmas ou criar novos cursos.
Estamos à sua disposição para analisar a melhor forma de possibilitar a elevação da qualidade e da produtividade dos serviços e produtos de informação que você ou sua instituição precisam.



Extensão: Ciência e Tecnologia para quem precisa.

Relação dos cursos de Extensão

Automação de Bibliotecas

Motivação

É cada vez maior o número de bibliotecas e centros de informação e documentação em processo de automação, principalmente em decorrência do maior acesso a ferramentas tecnológicas como computadores e redes. Além disso, o número crescente de informações e o aumento dos custos com pessoal torna a automação uma opção cada vez mais viável economicamente. Por outro lado, a evolução da tecnologia e a sua influência nos processos documentários obriga aos profissionais de informação, especialmente bibliotecários, a conhecerem os novos processos e ferramentas para participar de forma efetiva do processo de automação.

Programa

1) As tecnologias da informação
2) O processo de automação
3) Os tipos de automação
4) As etapas de automação
5) Os sistemas e suas características
6) Relato de casos

Índice de satisfação: 95,12% (dezembro de 2004)
Instrutor e Coordenador: Prof. Jayme Leiro Vilan Filho (Universidade de Brasília - UnB)

Bases de Dados Bibliográficos: formatação de saídas

Motivação

 

Uma das principais tecnologias usadas na área de informação é a de bancos de dados bibliográficos. O aprofundamento em algumas questões como a formatação de saídas em telas e relatórios são importantes para os profissionais que pretendem se aperfeiçoar no uso desse tipo de tecnologia. O curso é uma oportunidade para conhecer as principais formas de formatar e gerar telas e relatórios. O curso tem uma parte prática que pode ser ministrada em qualquer sistema gerenciador de banco de dados bibliográficos ou cadastral o "MS-Access" ou "CDS/ISIS for Windows".

Objetivo
Desenvolver as habilidades de formatar saídas bibliográficas e cadastrais em telas e em relatórios impressos visando preparar os profissionais da informação para disseminar informações de forma mais completa e legível usando tecnologias de bancos de dados em ambientes de informação diversos como bibliotecas, arquivos, centros de documentação e centros de informação

 

Programa

 

1) Conceitos básicos e características fundamentais das bases bibliográficas

2) Características fundamentais do sistema gerenciador;
3) Formatação de dados;
4) Geração de relatórios impressos;

 

Índice de satisfação: curso novo!

 

Instrutor e Coordenador: Prof. Jayme Leiro Vilan Filho (Universidade de Brasília - UnB)

Obs: curso em laboratório de informática.

Bases de Dados Bibliográficos: recuperação e intercâmbio

Motivação


Uma das principais tecnologias usadas na área de informação é a de bancos de dados bibliográficos. O aprofundamento em algumas questões relacionadas com a recuperação é importante para os profissionais que pretendem se aperfeiçoar no uso desse tipo de tecnologia. O curso é uma oportunidade para conhecer as principais formas de manter, recuperar, importar e exportar dados bibliográficos e cadastrais. A parte prática pode ser ministrada em "MS-Access" ou "CDS/ISIS for Windows".

 

Objetivo

 

Desenvolver as habilidades de organizar e usar estruturas informatizadas de pesquisa, recuperação e intercâmbio de dados visando preparar os profissionais de informação para disseminar informações usando tecnologias de bancos de dados em ambientes de informação como bibliotecas, arquivos, centros de documentação e centros de informação.

 

Programa

 

1) Conceitos básicos e características fundamentais das bases bibliográficas;
2) Características fundamentais do sistema gerenciador;
3) Manutenção das estruturas de busca;
4) Recuperação de informações;
5) Importação e exportação de dados.

 

Índice de satisfação: curso novo!

 

Instrutor e Coordenador: Prof. Jayme Leiro Vilan Filho (Universidade de Brasília - UnB)

Obs: curso em laboratório de informática.

Classificação Decimal Universal (CDU)

Curso básico

Instrutor: Prof. Sebastião de Souza (UnB/CID)

Duração: 15 horas

Comunicação Técnica: elaboração de manuais

Motivação


Inúmeras vezes, no cotidiano e mesmo no contexto acadêmico, observamos manuais de produtos e serviços que não são inteligíveis por diversos motivos: os exemplos não fazem parte da realidade do leitor; a linguagem utilizada é muito especializada para ser compreendida; não contemplam um glossário para consulta dos termos técnicos; são escritos originalmente em outro idioma e traduzidos para a língua portuguesa sem considerar as especificidades desta; não possuem começo, meio e fim; comportam uma apresentação visual pobre e pouco atraente; são constituídos por um excessivo ou exíguo número de páginas; não explicitam informações suficientes para a compreensão do produto etc. Estas deficiências dos manuais dificultam a utilização adequada de produtos e serviços, impedindo que seu usuário construa uma autonomia e independência para integrar estes as suas atividades, estando assim o usuário à mercê dos suportes técnicos das empresas ou sujeito às explicações dos usuários mais antigos. Dito de outra forma, comprar ou ter acesso a um produto ou serviço, não significa necessariamente ter as chaves de acesso para compreendê-lo.
Neste curso são aprofundadas as bases conceituais e metodológicas específicas para a criação de manuais técnicos.

 

Objetivo

 

Ao final do curso o aluno terá conhecimentos sobre como estruturar:
1) O conteúdo verbal textual dos manuais técnicos;
2) O conteúdo visual dos manuais técnicos;
3) O acesso à informação nos manuais técnicos.

 

Programa

 

1) Definindo manuais técnicos
2) Elaborando a superestrutura textual dos manuais técnicos
3) Elaborando a estrutura visual dos manuais técnicos
4) Elaborando a estrutura de acesso à informação nos manuais técnicos

 

Índice de satisfação: 80,62% (julho de 2005)

 

Prof. Dra. Maria Cristiane Galvão (Universidade de São Paulo - USP)

Coordenador: Prof. Jayme Leiro Vilan Filho (Universidade de Brasília - UnB)

Comunicação Técnica: princípios

Motivação


A comunicação técnica é um campo do conhecimento que estuda os princípios que devem ser considerados para a produção de documentos empresarias/institucionais que sejam facilmente compreendidos pelos leitores.
Estes princípios referem-se, por exemplo, ao contexto de comunicação, ao conteúdo a ser tratado no documento, à forma de organização do conteúdo, às características da redação, à usabilidade e ao design do documento.
A comunicação técnica visa a transferência de informações e conhecimentos no âmbito interno e externo - entre empresas e entre empresas e a sociedade (clientes) - por meio de manuais de instrução, materiais informacionais e de marketing, apresentações orais, os sítios web, correspondências; propostas; relatórios etc.

Esse curso é estabelece princípios a serem aprofundados em cursos específicos como "Comunicação Técnica: elaboração de manuais."

 

Objetivo

 

Ao final do curso o aluno deverá compreender:
1) o conceito de comunicação técnica;
2) os processos de elaboração dos documentos técnicos;
3) os princípios para a redação dos documentos técnicos legíveis.

 

Programa

 

1) A natureza da comunicação técnica
2) Como planejar e elaborar documentos técnicos
3) Processos efetivos para a comunicação técnica
4) Como criar documentos legíveis

 

Índice de satisfação: 90,39 (julho de 2005)

 

Instrutora: Prof. Dra. Maria Cristiane Galvão (Universidade de São Paulo - USP)

Coordenador: Prof. Jayme Leiro Vilan Filho (Universidade de Brasília - UnB)

Conservação de Documentos Especiais

Instrutora: Profa Miriam Manini

Editoração Básica

Motivação

A tecnologia proporciona aos profissionais e estudantes da área de informação as condições para a elaboração de documentos convencionais usando ferramentas eletrônicas simples, como os editores de texto. A falta de conhecimentos básicos de diagramação afeta diretamente a qualidade dos documentos produzidos, especialmente em relação aos aspectos de legibilidade. Grande parte das tarefas de editoração podem ser feitas automaticamente através de comandos de sistema editores, muitas vezes desconhecidos do usuário. A habilidade de editoração é importante para produzir trabalhos escolares - monografias, dissertações, teses, manuais operacionais, bibliografias etc - de forma mais rápida, mais agradável, mais legíveis e, portanto, mais eficazes.

Programa

 

1) Conceitos de editoração: princípios da legibilidade, projeto gráfico
2) Comandos do sistema: configuração de página, fontes, parágrafos, colunas, seções, índices, cabeçalhos e rodapés
3) Tipos de documentos e suas partes: folheto, livro, teses, trabalho acadêmico etc

Índice de satisfação: 97,22% (agosto de 2005)

Instrutor e Coordenador: Prof. Jayme Leiro Vilan Filho (Universidade de Brasília - UnB)
Obs: curso em laboratório de informática.

Elaboração de Base de Dados Bibliográficos (Access)

Motivação


A tecnologia proporciona aos profissionais e estudantes da área de informação as condições para o controle automático de pequenos acervos a baixo custo. Boa parte da demanda por aplicativos de baixa complexidade não é atendida por falta de recursos para a aquisição de sistemas, embora a maior parte das instituições já disponha de microcomputador e de sistemas para a automação de escritório, como editores de texto, planilhas e bancos de dados. O desconhecimento dos formatos bibliográficos existentes, dos sistemas de bancos de dados e das metodologias de desenvolvimento rápido de bancos de dados bibliográficos são fatores limitantes para um melhor controle dos pequenos acervos. Os exercícios práticos são podem ser em "MS-Access" ou "CDS/ISIS for Windows".

Programa


1) Introdução: definições básicas, tipos de BD, estruturas de armazenamento e de acesso, formatos de registros, gerenciadores de bancos de dados e sistemas de recuperação, ciclo de vida dos sistemas de informação
2) Sistemas Gerenciadores de BD (SGBD) e de recuperação: visão geral, conceitos, mecanismos de ajuda, arquivos e tabelas, formulários, consultas, relatórios, aplicações
3) Bases Bibliográficas: monografias, periódicos e analíticas

Índice de satisfação: 96,92% (março de 2006)

Instrutor e Coordenador: Prof. Jayme Leiro Vilan Filho (Universidade de Brasília - UnB)
Obs: curso em laboratório de informática.

Elaboração de Bases de Dados Bibliográficos (WinISIS)

Motivação

A tecnologia proporciona aos profissionais e estudantes da área de informação as condições para o controle automático de pequenos acervos a baixo custo. Boa parte da demanda por aplicativos de baixa complexidade não é atendida por falta de recursos para a aquisição de sistemas, embora a maior parte das instituições já disponha de microcomputador e de sistemas para a automação de escritório, como editores de texto, planilhas e bancos de dados. O desconhecimento dos formatos bibliográficos existentes, dos sistemas de bancos de dados e das metodologias de desenvolvimento rápido de bancos de dados bibliográficos são fatores limitantes para um melhor controle dos pequenos acervos. Os exercícios práticos são podem ser em MS-Access ou CDS/ISIS (3.08 ou WinISIS 1.5).

Programa

1) Introdução: definições básicas, tipos de BD, estruturas de armazenamento e de acesso, formatos de registros, gerenciadores de bancos de dados e sistemas de recuperação, ciclo de vida dos sistemas de informação
2) Sistemas Gerenciadores de BD (SGBD) e de recuperação: visão geral, conceitos, mecanismos de ajuda, arquivos e tabelas, formulários, consultas, relatórios, aplicações
3) Bases Bibliográficas: monografias, periódicos e analíticas


Instrutor: Prof. Jayme Leiro Vilan Filho (UnB/CID)

Duração: 10 horas

Índice de satisfação: 96,88% (julho de 2004)

Elaboração de Dicionários Especializados

Instrutora: Lígia Café (MCT/IBICT)

Duração: 10 horas

Elaboração de resumos

Motivação


Cerca de 1,7 milhão de novas páginas são publicadas diariamente na
Internet. Somente este número explicita a necessidade e dificuldade das empresas e profissionais selecionarem, sistematizarem e sintetizarem informações relevantes para suas atividades. Neste contexto, o curso de Elaboração de Resumos apresentará estratégias de leitura, coleta e representação da informação que possam ser assimiladas por profissionais de diferentes áreas e provenientes de diversas instituições. É uma oportunidade de conhecimento e atualização para os profissionais que atuam na área de informação, tais como jornalistas, pós-graduandos, engenheiros, arquivistas, bibliotecários, além de profissionais que atuam em bases de dados, editoração, e divulgação científica.

 

Objetivo Geral

 

Proporcionar o conhecimento de uma metodologia científica para a elaboração de resumos.

 

Objetivos Específicos:

 

1. Facilitar o reconhecimento dos tipos textuais e superestruturas;
2. Facilitar o reconhecimento das informações mais relevantes do texto;
3. Apresentar a estrutura dos diferentes tipos de resumo.

 

Programa

 

Módulo 1: O que é resumo, tipos de resumo e norma de elaboração de resumo
Módulo 2: Estratégias de leitura, coleta e síntese das informações
Módulo 3: Apresentação do resumo
Módulo 4: Avaliação

 

Índice de satisfação: 97,22% (agosto de 2005)

 

Instrutora: Prof. Dra. Maria Cristiane Galvão (Universidade de São Paulo - USP)

Coordenador: Prof. Jayme Leiro Vilan Filho (Universidade de Brasília - UnB)

Indexação: identificação do assunto de documentos

Instrutora: Lígia Café (MCT/IBICT)

Duração: 10 horas

Internet: uma visão geral

Motivação

É cada vez maior o número de bibliotecas e centros de informação e documentação ligados à Internet, entretanto a maioria dos profissionais ainda não percebeu o potencial dos recursos da Internet na solução de questões importantes para as bibliotecas como a aquisição e a catalogação cooperativas, os catálogos coletivos virtuais, as bibliotecas digitais e a oferta de serviços de recuperação em rede. Por outro lado, muitos profissionais usam os recursos da Internet de modo tímido por desconhecerem aspectos importantes relacionados com o funcionamento dos serviços e os padrões de protocolos.

Objetivo

Preparar os profissionais de informação para usar e participar de equipes de implantação e manutenção de serviços de informação baseados nos recursos da Internet.

Programa

1) Conceitos de Redes de computadores
2) Protocolo TCP/IP
3) Conceitos básicos de Internet
4) Serviços de busca
5) Serviço WWW
6) Serviço de e-mail
7) serviço de FTP
8) outros serviços
9) aplicações nas bibliotecas


Índice de satisfação: 90,18% (março de 2004)

 

Instrutor: Prof. Jayme Leiro Vilan Filho (UnB/CID)

Prática da Indexação

Instrutora: Prof. Marisa Brascher (UnB/CID)

Duração: 10 horas

Prática de Classificação Decimal Universal (CDU)

Instrutor: Prof. Sebastião de Souza (UnB/CID)


Duração: 15 horas

Recuperação de Informações

Motivação

O acesso às bases bibliográficas e hipertextuais cresceu de forma acentuada com a expansão das tecnologias de CD-ROM e de redes de computadores, incluindo internet. A evolução das interfaces dos sistemas de busca obrigam os profissionais da informação, especialmente bibliotecários, a conhecerem as novas ferramentas para melhor desempenho na seleção de informações, principalmente nos serviços de referência. O objetivo do curso é desenvolver e aperfeiçoar nos profissionais da informação, e de áreas afins, a habilidade de recuperação automática da informação, especialmente em bases bibliográficas. Aborda os conceitos básicos de recuperação, o processo de referência, e as interfaces de sistemas de recuperação de informações(SRI) com exercícios práticos. Indicado para profissionais, estudantes e pesquisadores de todas as áreas que necessitem de selecionar informações bibliográficas e textuais de forma automática em bases locais e remotas (internet).

Programa

1) Conceitos básicos
2) O processo de referência
3 ) As interfaces de sistemas de recuperação de informações - SRI
4) Exercícios de recuperação

Índice de satisfação: 97,92% (abril de 2006)

Instrutor e Coordenador: Prof. Jayme Leiro Vilan Filho (Universidade de Brasília - UnB)
Obs: curso em laboratório de informática.

Redes de Informação: uma visão geral

Motivação

É cada vez maior o número de bibliotecas e centros de informação e documentação em processo de associação e cooperação visando o compartilhamento de recursos, principalmente nos processos documentários de aquisição, catalogação e recuperação de informações. Com a variedade de redes disponíveis no Brasil e no exterior uma infinidade de recursos, produtos e serviços, torna-se disponível principalmente através de facilidades tecnológicas como as redes de computadores, especialmente a Internet. A questão passa ser qual rede escolher e com base em quais critérios?

Objetivo

Desenvolver o senso de análise crítica visando preparar os profissionais de informação a selecionar e a participar de redes de bibliotecas visando catalogação cooperativa, catalogação coletiva, padronização etc

Programa

1) Conceitos de Redes de Informação
2) Catalogação Cooperativa
3) Catálogos Coletivos
4) Formatos e Padrões de Intercâmbio
5) Redes Internacionais: OCLC, PCC, RLIN, Agris etc
6) Redes Nacionais: Bibliodata, Pergamum, CCN, Comut etc

Índice de satisfação: 96,3% (março de 2006)

Instrutor: Prof. Jayme Leiro Vilan Filho (UnB/CID)

Tecnologias da Informação

Motivação


As tecnologias da informação fazem parte inexorável da Ciência da Informação e consequentemente têm grandes implicações para áreas mais próximas como Arquivologia, Biblioteconomia e Documentação. Nos últimos dez anos muitas novidades e padrões tecnológicos surgiram modificando substancialmente diversas atividades relacionadas com o setor de informação. Grande parte dos profissionais da informação, especialmente os egressos de cursos de arquivologia e biblioteconomia, têm dificuldade em acompanhar o ritmo de desenvolvimento tecnológico para avaliar e adotar novos padrões e tecnologias. O curso é uma oportunidade para conhecer as principais iniciativas tecnológicas relacionadas com as áreas de informação.

 

Objetivo

 

Desenvolver o senso de análise crítica visando preparar os profissionais de informação para avaliar e introduzir novas tecnologias em ambientes de informação como bibliotecas, arquivos, centros de documentação e informação

 

Programa

 

1) As tecnologias da informação e as áreas de informação: Arquivologia, Biblioteconomia, Ciência da Informação e Documentação;
2) Tipos de tecnologias da informação;
3) Formatos e padrões mais relevantes nas áreas de informação e suas aplicações;
4) Tecnologias mais relevantes nas áreas de informação e suas aplicações.

 

Índice de satisfação: 97,05% (março de 2006)

 

Instrutor e Coordenador: Prof. Jayme Leiro Vilan Filho (Universidade de Brasília - UnB)

Tesauro: curso básico

Objetivo:

Desenvolver nos profissionais da informação o conhecimento dos aspectos teóricos sobre tesauros, a compreensão da necessidade de controle de vocabulário na indexação e na recuperação da informação, e a diferenciação entre palavra, termo e conceito.

Programa:

1) Linguagens documentárias: conceituação; tipologia, funções
2) Tesauro: conceituação, finalidade.
3) Termo e conceito. Sistema de conceitos
4 ) Relações conceituais no tesauro: teoria e prática.

Instrutora: Prof. Marisa Brascher (UnB/CID)

Duração: 10 horas

Tesauro: técnicas de elaboração

Instrutora: Prof. Marisa Brascher (UnB/CID)

Duração: 10 horas

Teses e dissertaçãoes eletrônicas

Motivação


As teses e dissertações são documentos com características específicas que dificultam a sua preservação e disseminação. Uma das alternativas para a preservação e disseminação de informações bibliográficas é a publicação eletrônica em diversos suportes como disquete, CD-ROM e Internet, que tem como principais vantagens: redução de custos, maior capacidade de disseminação da informação, e maior eficiência na administração de coleções na forma de banco de dados.As teses e dissertações eletrônicas, também conhecidas como "e-theses" ou "electronic theses and dissertations" exigem metodologia e ferramentas específicas para a sua criação.

 

Objetivo

 

Apresentar aos profissionais interessados na criação de bibliotecas digitais de teses e dissertações uma metodologia de elaboração de teses e dissertações eletrônicas (ETD) para preservação de acervos convencionais e disseminação mais eficiente da informação científica.

 

Programa

 

1) Conceitos básicos e características fundamentais das tese e dissertações eletrônicas(ETD);
2) Bibliotecas digitais de ETD;
3) Metodologia de elaboração de ETD;
4) Demonstração de procedimentos e sistemas.

 

Índice de satisfação: curso novo!

 

Instrutor e Coordenador: Prof. Jayme Leiro Vilan Filho (Universidade de Brasília - UnB